Publicidade
Publicidade

Jornal Caderno Jurídico



NOTÍCIAS

“Governo está atento a projetos que cerceiem atividade policial”, afirma Sergio Moro

Ministro defende o veto de nove artigos da proposta – 11 considerados negativos, que podem inviabilizar a atividade da Justiça, MP e Polícia

20/8/2019 às 3h52 | Atualizado em 20/8/2019 às 3h56
Marcos Corrêa/Arquivo/ABr “Governo está atento a projetos que cerceiem atividade policial”, afirma Sergio Moro Presidente Bolsonaro e o ministro Moro discutem vetos ao projeto de abuso de autoridade

Nesta segunda-feira, 19, o ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro disse que o governo federal está atento a projetos do Congresso que possam cercear a atividade policial. A declaração foi dada em evento na sede do Comando da Polícia Militar em Bauru, no interior paulista. O ministro também recebeu o título honoris causa da Universidade de Marília (Unimar), em Marília (SP).

“Estamos atentos a óbices que eventualmente sejam colocados no trabalho da atividade policial, nós vimos recentemente o projeto de abuso de autoridade, nós respeitamos o Congresso, mas estamos sensíveis. No próprio Congresso, boa parte dos parlamentares revelou sensibilidade em relação a alguns temas que podem, ainda que com boas intenções, cercear o trabalho da atividade policial. O governo federal está atento nisso”, disse o ministro.

 

Vetos

Moro defende o veto de nove artigos da proposta. Em parecer técnico encaminhado aos parlamentares antes da votação da proposta, o Ministério da Justiça indicou 11 artigos considerados negativos. O Ministério alegou que os pontos poderiam inviabilizar a atividade da Justiça, do Ministério Público e da Polícia.

 

Lei Anticrime

Junto aos policiais paulistas, Moro lembrou do projeto Anticrime. “Apresentamos respeitosamente ao Congresso o projeto Anticrime. O capitão Augusto é o relator do projeto. Estamos lá buscando com o apoio dele e de outros parlamentares o convencimento do parlamento da importância da aprovação desse projeto, que nós acreditamos que levaria aí a uma redução ainda maior dessa criminalidade”, disse.

O ministro avaliou que o projeto “traz instrumentos importantes não só para coibir a criminalidade, mas para aumentar os mecanismos de investigação à disposição da Polícia, do Judiciário e do Ministério Público”.

 

Videomonitoramento

Segundo Moro, a visita ao interior paulista se deu para conhecer experiências locais de videomonitoramento em Segurança Pública. “Viemos conhecer a região, vivemos em uma federação, sabemos que existem experiências muito interessantes em matéria de Segurança Pública no país inteiro e uma das funções do Ministério da Justiça é conhecer essas experiências e aquelas que forem positivas nós buscarmos replicar”, relatou.

“É importante também investir em tecnologia, a tecnologia facilita o trabalho do policial, permite maior foco, permite o atendimento mais rápido àqueles que são vítimas de crime, que acabam sendo, vamos dizer assim, um crime filmado por videomonitoramento, ou que pode permitir a captura de criminosos foragidos, a identificação de veículos furtados, roubados, de uma forma mais dinâmica. Então nós temos que alinhar essas duas estratégias: policiais treinados, mas também tecnologia e a ideia foi vir aqui para Bauru e Marília para conhecer essa experiência.”

 

Da Redação
contato@cadernojuridico.com.br

Colabora Camila Boehm
Agência Brasil Brasília
pauta@ebc.com.br

Publicidade

APOIADORES

Publicidade
  • Pós-graduação Alfa Umuarama